Esta é a verdade nua e crua
Que eu vejo nitidamente
Almas perdidas e impuras
Corrompidas estão as mentes

Desgovernadas
Sem rumo
Desorientadas
Fora do prumo

Perderam o tino da vida
Preferem as ilusões
Desprezam a sabedoria
Ferem os corações

Cadê o senso de justiça
A linha da sobriedade?
Acordem enquanto é dia
Busquem a sanidade

O caminho reto está tão perto
Já traçado dentro de nós
Jugo leve, peito aberto
Livre de todo nó

Mas quem de fato quer se encontrar
E assumir a responsabilidade
Do caminho apertado trilhar
Até voar com a liberdade?

Desbravar-se é para poucos
Enfrentar os gigantes e o medo
Derrubar todos enganos
Desvendar a vida e seu segredo

Necessário é refletir-se
Ver-se alma, próprio espelho
Só assim irá descobrir-se
E ouvirá do justo o conselho

Por Michele Mi
Tema sugerido por Márcia Rocher – Apucarana/PR