Quão bela é a paisagem
Que tenho visto em minha tela
Com a sabedoria sigo a viagem
E no coração levo a aquarela

As cores da vida me encantam
E contemplo seus traços perfeitos
Criações tão perfeitas que até espantam
E cobrem de lágrimas meu leito

A terra está fértil
E a chuva do céu não cessou
Seu gotejar desce sutil
Pela verdade que me saciou

Campos verdes
Anunciam a esperança
Tranquilo como o embalo da rede
Pureza doce de criança

Sinto o ar da bela aurora
Tocar suave a minha face
Sentimento que me renova
Repleta alegria sem disfarce

Os sons divinos me rodeiam
E os anjos velam o meu sono
Raios de sol que incendeiam
Alma e vida em uníssono

Despertei pela manhã
Com o cantarolar do bem-te-vi
Me chamando para o afã
Fazer as almas sorrir

Semear a semente infinda
E a verdade propagar
Colheita certa e linda
Trarão às almas o libertar

Por Michele Mi
Tema sugerido por: Márcia Rocher – Apucarana/PR