Muitas almas são nocivas
De longe sentimos o pesar
Pensamentos que contaminam
Fazendo o mal dominar

Corroem-se insatisfeitas
Desejando ser outrem
Olhares a espreita
Atos que não convém

Mas o bem se mantém em pé
No coração dos guerreiros
Fluente como igarapé
Nutre a alma de quem sente

Clima contagiante
Luz que reverbera
Vidro ocular radiante
No peito sensível penetra

Transpassa o sentimento
Não se envergonha da alegria
Espanta todo lamento
Amor que contagia

Acompanhado ou sozinho
Isolado ou na multidão
Abriga-se em seu ninho
Reflete sua imensidão

Por onde passa vai colorindo
E levantando os cansados
A alma sempre sorrindo
Fortificando os imos fracos

Deixe jorrar pelas entranhas
As águas da sabedoria
Liberdade de criança
Verdade que ilumina

Por Michele Mi 
Tema: Maria Lúcia – Martins/RN