Não importa a aparência
O externo, o biotipo
Pois é neutra a consciência
Não pratique o racismo

Somos todos iguais
Perante nosso Criador
Se enxergar pelo racional
Aprenderá o que é o amor

Sentimento extremamente puro
A essência da compreensão
Cuidem bem do seu fruto
Assine a própria abolição

É muito triste ver as almas
Acorrentadas pela ignorância
Vendendo-se por migalhas
E perdendo a esperança

Plantando a semente da acepção
Gerando pensamentos de crueldade
Virando as costas para a razão
Afastando-se da liberdade

O lado interno é o que importa
Sermos livres pela sabedoria
Abrir para a vida a nossa porta
Cessar toda essa artilharia

Atente-se ao profundo do coração
E ouça a voz do silêncio te ensinar
Veja a todos como irmãos
E a paz verdadeira irá reinar

Lutemos pela mesma causa
O propósito da vida
O tempo corre, não há pausa
É o alerta da poesia

Por Michele Mi
Tema sugerido por: Wellington Miranda – Teresina/PI