Abra suas janelas
Deixe o sol te iluminar
Floresça como a primavera
Ouça a vida reverberar

Mergulhe em sua imensidão
Veja sua imagem no espelho
Conheça seu coração
No silêncio ecoa o conselho

Se pudesse, meus olhos emprestaria
Para ver o que minha alma contempla
O que me ensinou a sabedoria
E o que fez-me ficar atenta

Mas não existe uma receita
Que traga o despertar
É preciso trilhar a vereda
E a compreensão no ventre gerar

Sem medo ou receios
Do que possa desvendar
A incógnita, o segredo
As peças que deve encaixar

A visão do poeta
É muito privilegiada
Avista uma simples janela
E faz dela uma alma bordada

Pelas frestas do nosso eu
A vida acena querendo adentrar
Rasgar o véu, dissipar o breu
Na harmonia da verdade bailar

Rompendo toda barreira
Abrindo as longas cortinas
Ampliando nossa tenda
Com a razão em sintonia

Por Michele Mi 
Tema sugerido por: Rogério Rosa – Jaraguá do Sul/SC