Fechado em uma cela
Sem ver a luz do sol
Cadeados nas portas e janelas
Uma prisão mental

O interno sofre calado
Vontade de gritar
Minha alma quer voar alto
E sentir a brisa do mar

A saída está no inverso
E a chave está a mão
Mas o medo provoca o reverso
E aprisiona o coração

Quero expressar o que sinto
E falar abertamente
As coisas que eu não consinto
E assolam minha mente

Liberdade, liberdade
Quero tanto te sentir
Borde minhas asas
Ponha em meus lábios teu sorrir

A sabedoria bateu a minha porta
E cruzou o meu caminho
Sua luz me revigora
Já não me sinto sozinho

Aos poucos tem me moldado
E quebrado o meu orgulho
Meu caminho iluminado
E desviado dos pedregulhos

Minha face tão franzida
Aos poucos torna-se serena
Quero colher os frutos da vida
E expandir minh’alma pequena

Por Michele Mi