E não foi com um beijo de um suposto príncipe encantado, mas uma luz que acendeu em minha consciência. Me tirou de um sono profundo, livrando-me do maior feitiço de engano desse mundo. Já não sou levada pelo conto, mas alço voo nas asas da liberdade. Já não são voos rasantes, mas por lugares altos, de onde vejo belas paisagens abrirem-se à minha frente, enchendo-me da verdade. Acordei! Tenho em mim o senhor da vida, posso sentir e com Ele irei para o eterno porvir! Acorda, tu que dormes!

Por Loir Xavier