“Por onde anda uma consciência? Por caminhos incertos”. São todas corruptas, volúveis, imprecisas, inseguras. Ora agem de um forma, ora de outra. Falam com a boca, mas não demonstram com os atos. Não transmitem confiança e precisão em seu agir. Diante de Deus nossas consciências devem ser firmes, decididas, seguras a fim de cumprir Seu propósito, pois o mesmo requer definir á quem servir. Devemos firmar nossos atos guiados, orientados pelo espírito que em nós habita. Nosso proceder deve ser condizente com a palavra que proclamarmos e com o Deus à qual servimos.

Por Loir Xavier