Eu estou conhecendo esse amor. E não há nada que se compare…Conhecer o amor é achegar-se a própria fonte inesgotável deste, mas não apenas achegar-se, mas ter o entendimento Dele, senti-lo como parte de si mesmo, o que verdadeiramente é, pelo espírito da vida que nos habita. Amor é algo muito mais profundo do que a fútil superficialidade à que os seres humanos estão acostumados, justamente por não conhecerem o verdadeiro amor que advém da fonte perene do Eterno.
Elevo os olhos para o monte, de onde virá o meu socorro? Esse é um dos versículos bíblicos usados pelas consciências em momentos de angústia. E são clamores incessantes dia e noite, noite e dia por socorro, auxílio, livramento de suas dores. Mas em seguida o salmista já dá a fórmula: O meu socorro vem do senhor! A questão é o erro de função, deixaram de favorecer para serem favorecidos. Quanto mais fora do caminho, mais sentirão as pragas assolarem a consciência.

É preciso atentarem-se que tudo está no senhor e o buscarem de todo coração e entendimento.
Percebo que o que as consciências em geral mais temem, têm medo, é dos infernos. Não tem a noção clara do que será, mas sentem resquícios de seus ardores já aqui nesta breve e ínfima vivência. Entretanto nada fazem para não incorrerem ao vazio do nada. Vivem em um torpor de raciocínio que é medonho e triste. Estão surdas para a verdade de Deus que as tirará de seus prazeres carnais e enfrentam o medo e a certeza do precipício em que cairão após a morte carnal com a ilusão de que já foram redimidos.
Agora é consertar o erro por ter lançado à carne o direito de apoderar-se de algo que não nos pertence, a consciência. Tornar ao caminho e devolver a Deus o fruto que desde sempre é para o bem Dele e assim adentrar ao reino de luz onde o dia nunca se findará, onde a vida é infinda!

Por Loir Xavier