Num dado momento fomos fecundados. Nossos pais praticaram o ato da coabitação e numa corrida frenética o sêmen adentrou o óvulo, e o senhor da vida, o espírito de Deus, já fazia-se presente. Pronto, lá vamos nós para a segunda fase da vida! Passamos por todo um processo de divisão e agrupamentos de células, até nos formarmos completamente como seres humanos, e ele, o senhor da vida, o espírito de Deus, já fazia-se presente. Nascemos, crescemos e chega o momento de começarmos a produzir a consciência, fruto que ele, o senhor da vida, veio habitar e buscar, pois é o alimento do nosso Criador. Mas, a carne com seus ardis, interfere nesse processo e sucumbe a consciência aos seus próprios desejos, fazendo-a ficar a sua mercê. Temos então um quadro caótico onde as consciências não importam-se com a vida, mas somente com a vivência. Querem a vida eterna, mas desconhecem a razão de suas próprias vidas. E ele, o senhor da vida, o espírito de Deus, ainda está lá, sendo ignorado. Estamos dentro de um propósito e para chegar à fase definitiva, espiritual e eterna, há uma porta para atravessar e um caminho para se percorrer e tudo dá-se na consciência, através do raciocínio, para o conhecimento, o entendimento e a realização deste. Pois chegará o dia em que ele, o senhor da vida, o espírito de Deus, não estará mais onde sempre esteve. Então ele, o senhor da vida, o espírito de Deus, deve ser soberano em tudo e sobretudo. E assim, haverá novos céus e nova terra! Você sabia?

Por Loir Xavier