A expectativa referente a algum acontecimento ou a alguém, gera a ansiedade na consciência. Dependendo do grau, é algo que angustia, que traz sofrimento! A grande maioria que sofre de tal transtorno impõe à si mesmo atos de punição, tais como: roer as unhas até sangrar, inferir pequenos cortes na pele, na tentativa de que uma dor seja substituída por outra, choro compulsivo, riso desenfreado, falta de ar, glutonaria, etc. A ansiedade torna-se transtorno devido também ao fator de ser o alvo das expectativas de outrem, ou seja, da ânsia de satisfazer, de realizar o outro através de si. Um exemplo claro: os pais sobre os filhos. A força carnal lançada pelo engano nas consciências domina enormemente, trazendo males quase irreparáveis. O nosso irmão Pedro nos exorta à que “lançemos sobre Deus a nossa ansiedade, pois Ele tem cuidado de nós” e tudo se cumprirá no devido tempo. A nossa ansiedade deve ser somente relacionada ao intento de Deus, em cumpri-lo em nossas consciências para que quando o fruto maduro, possa ser colhido para o Seu proveito e glória!

Por Loir Xavier