Não penetra! Não atravessa! É uma densa parede, grossa, profunda. São anos e anos, aliás desde o nascimento neste mundo, vivendo pela carne e para a carne.Todos indistintamente! E é assim que caminha toda a humanidade rumo à um fim desolador. Poderíamos citar a cada minuto um motivo, uma “talvez” desculpa, mas nada justifica a falta de querer lutar pela vida, nada justifica a troca. É uma raiz muito profunda e forte à qual as consciências estão ligadas que as prendem, tornou-se o próprio ar, de tal maneira que estão tal qual animal de cabresto, olhando fixo para o precipício e indo em sua direção, seguros e confiantes de que esse é o caminho.
Importante é o hoje, o agora, sua vivência e por mais que ouçam sobre o fato de que estamos dentro de um propósito, não o percebem, sequer vislumbram o entendimento da verdade e da sua liberdade.

Por Loir Xavier