Sempre tive esse versículo em mente e procurei fazê-lo, mas como não conhecia a verdade de Deus acabei por me fartar de minha consciência e induzi involuntariamente meus filhos a mesma atitude. E agora? Cresceram andando pelo caminho torto, um produziu sua consciência e o outro está produzindo. Falo da verdade, aconselho, reprimo, mas como bem sabemos agora depende do querer deles próprios em ter a vida eterna com Deus. “E ainda quando for velho não se desviará dele”, nesse aspecto do versículo vejo que dependerá, como em tudo, da própria consciência, pois temos exemplos de jovens que foram conduzidos no caminho reto e perfeito, porém suas consciências escolheram viver no e para o mundo, crendo ter depois um tempo hábil para o arrependimento. Fui jovem, cometi erros, fiz escolhas que me fizeram dar com os burros n’agua entretanto encontrei-me com a verdade. Rogo a Deus que os jovens, e nisso incluo meus filhos, possam ver que hoje é o tempo de buscar ao senhor, pois a qualquer momento, como um sopro, a vida volta ao Pai e daí? Acabou não tem mais volta!
Cada uma das consciências viventes tem uma ligação específica em algo e esse algo pode ser coisas, pessoas, animais, objetos, enfim, aquilo que domina o querer da mesma. Às vezes não o possui, mas quer intensamente e isso leva a consciência a fazer loucuras para obter. Pode ser que passe toda a sua vivência em prol de tal conquista e no fim se frustrará. É o querer que impulsiona a consciência. Quanto a vida eterna acreditam, devido ao ensinamento ao qual foram condicionados desde pequenos, que já a têm. E agora como acordá-los?

Por Loir Xavier