O olhar de admiração do outro é o espelho que reflete e responde as perguntas de cada um, afinal quem não gosta de lisonjas! Hoje o culto ao corpo, a beleza exacerbada é o que está em voga. O exterior que é o que é visto deve estar impecável, a corrida é para ser visto e admirado. É uma futilidade atrás da outra! É tamanho o disparate que se pudessem degustariam a si próprios. Na verdade toda essa loucura só confirma a frustração incontida de estarem perdidos, correndo de um lado para outro, buscando em seus espelhos a satisfação que não encontram. Estão com o mapa na mão, mas não o interpretam! Por amarem demais a imagem que a eles retorna, fundiram-se a ela e de vida só conhecerão a vivência que tiverem nesse tempo e lugar.

Por Loir Xavier