“Para onde fugirei do Teu espírito; onde me esconderei de Tua face? Formaste-me e conheces-me desde o meu levantar ao meu deitar!”
Fugir! Do enfrentamento, da realidade, das circunstâncias que causamos e de nós mesmos. O Homem pode esconder-se a ponto que ninguém o encontre, entretanto sempre achará a si mesmo. Pode buscar inúmeras maneiras diferentes de fugir do seu existir, porém sua consciência é um mecanismo de replay sempre lembrando que tudo ainda está lá. Não há como fugir dos enganos plantados e profundamente enraizados, todavia há como arrancá-los. Não há como fugir da condenação eterna se o propósito para o qual foi criado não for realizado, contudo sua realização acaba com todas as fugas, pois culmina no encontro com a vida, com o senhor, que conhece cada partícula de seu ser, sonda e sabe até das intenções. E é neste senhor que tudo se acha, é no espírito de Deus que tudo se completa!

Por Loir Xavier