“Meu amigo hoje tens a escolha; Vida ou morte;
Qual vais aceitar? Amanhã pode ser muito tarde;
Hoje Cristo te quer libertar!”
Assim diz uma antiga canção que ecoa e canta a liberdade! A grande questão é que o entendimento sobre liberdade emperra diante do cercamento carnal sobre o qual vivem as consciências. A liberdade buscada é a econômica, é a satisfação e realização dos desejos mais íntimos, é a que proporcionará o ter, embora continuem cativos. É como estar em um deserto, avistar um oásis, beber de suas águas, mas continuar sedento, porque não sacia, diante do sol escaldante. É ter a dádiva e a possibilidade de liberdade eterna, mas tropeçar nas escolhas e estatelar-se ao chão, de onde o querer não tem força, não é suficiente para erguer-se e o conformismo juntamente com o comodismo levam a inércia. O achismo se apropria das possíveis certezas e a verdade se perde em meio a tantas raízes, que se aprofundam…que se aprofundam…

Por Loir Xavier