Quantas casas vazias!
Quantos desabrigados,
Ao relento, sem alento,
Dia e noite,
Noite e dia!

Quantas casas desertas!
Sem luz,
Sem vida,
Escuras,
Frias!

Quantas casas sombrias!
Gritos que ecoam,
De dores,
Temores,
Tribulação!

Quantas casas impuras!
Perdidas,
Corrompidas,
Tolidas,
Sem visão!

Quantas casas escravas!
Clamando,
Por libertação,
Pela salvação!

Abram suas portas!
Escancarem suas janelas,
Deixem que o vento entre
Pois traz o som da redenção!

Saiam pra fora!
Banhem-se na chuva da palavra,
Lavem-se ,
Limpem-se ,
Há para vós novas vestes!

Pois eis que raiou!
Resplandeceu,
Eclodiu,
A luz infinda,
A vida!

Sinta o senhor!
Ele é o teu penhor,
Guia, condutor,
Teu corpo eterno!

Por Loir Xavier