“O Homem é um ser em construção! “Quantos de nós já não ouvimos essa frase e somente hoje damos o real sentido a ela, não é mesmo? Entretanto para os bilhões de pessoas existentes, assim como o é para nós, tal frase deve ser vista e entendida ao inverso, pois é primordial desconstruir-se para construir-se. Como assim? Bem, a construção de uma casa passa por: desde a escolha do terreno e seu preparo até os acabamentos finais, quando estará pronta para ser habitada. Sabemos que todos esses processos devem ser feitos com muito esmero para que a casa seja sólida, firme e permaneça em pé, dando abrigo e proteção contra os ventos e tempestades que a possam sobrevir.

Bem, estamos dentro de um propósito que é ou ao menos deveria ser, a diretriz para a nossa construção e nele tudo são sombras. Diante de tal diretriz, o raciocínio lógico nos leva a conclusão da necessidade de desconstrução de nossa casa, que por analogia trata-se de nossas consciências, haja visto que seus parâmetros não foram obedecidos. O termo “mãos à obra”, que significa começar um trabalho, tomar uma iniciativa, nos dá dois sentidos: derrubar e edificar!

Diante da verdade do propósito de Deus, é essencial, primordial, categórico, derrubar as paredes de enganos construídas desde que a consciência começou a ser produzida, pois edificou-se em solo arenoso, fundamentou-se no que fenece e se esvai, formou-se de forma depreciativa e vã.

Diante da verdade do propósito de Deus, é preciso edificar-se na palavra, que lava, limpa, transforma, que chega de maneira eficaz aos famintos e sedentos, cujos corações realmente dela se alimentam. É um trabalho a ser executado de modo fidedigno pela consciência, pois trata-se de sua eternidade com vida. Edificar-se e alicerçar-se na rocha, fazer Dele, o espírito santo de Deus, seu baluarte e abrigo eterno.

Para tanto faz-se necessário o “mãos à obra”, e nessa reconstrução as escolhas certas, tomando por base a diretriz e o parâmetro do propósito estabelecido pelo Criador Deus!

 

Por Loir Xavier