Fitos, atônitos, confusos, incrédulos. Pensamentos em meio a um turbilhão, um choque entre o que era a verdade sabida e a realidade. Raciocínio a mil travando no ringue mental uma peleja com a tão acostumada e conhecida acomodação, onde tudo já estava resolvido. Logo os pensamentos antes desconexos começam a se encaixar um a um. Os olhos se abrem, ampliam seus horizontes, vislumbram e enxergam a luz, o entendimento torna-se claro e coeso. Somos integrantes de um propósito. Temos um Criador, portanto somos criação e como tal devemos servi-lo com o que produzimos, que é a nossa consciência. Dentro de cada um existe uma porção Dele que é o espírito que nos dá a vida, por ele nos movemos e existimos. Cabe a nós fazer cumprir em nossas consciências na prática o viver segundo o espírito e o morrer para a carne.

Por Loir Xavier