Há muito da carne enraizado em todas as consciências e pelo tempo vivido por ela acaba por tornar-se natural e julga-se ser o modo correto de agir. Afinal o ser humano ao nascer, não demora muito e já se liga na carne e em tudo que oferece. Sua consciência é moldada pelos gostos carnais, arrastada pelos exemplos de outras iguais.
Contudo é certo e sabido que estamos dentro de um propósito que nos revela que devemos arrancar de nossas entranhas tudo que diz respeito à carne, pois ela nos acarreta danos irreparáveis nos jogando na eternidade do vazio em meio a sofrimentos eternos. Também nos diz claramente que nossas consciências devem purificar-se ao ponto de nós tornarmos como criança, e de que para tal certamente é necessário o enfrentamento de si mesmo, desfazendo-se de tudo que tira do caminho. Passar por todo o processo de limpeza a ferro e fogo, e buscar resistir, para nos revestir do espírito e assim alcançar a preciosa vida eterna.

Por Loir Xavier