“O Homem sensato sempre pensa antes de agir, mas o tolo anuncia sua ignorância”
Sensatez é sinônimo de: bom senso, juízo, razão, tino, siso, discernimento. É característica daquele que vive de forma equilibrada e que é guiado pelo bom senso.
Ser sensato é pensar, ponderar antes de agir. É refletir sobre o certo e o errado, sobre o bem e o mal e fazer uso da razão para decidir de forma fria qualquer situação e não guiado por sentimentos. É ter e fazer uso do raciocínio a fim de promover seu próprio bem. É agir com prudência, cautela. É ter sabedoria!
Diante de tantas definições de sensatez e das características apresentadas por um indivíduo sensato podemos analisar, a luz do propósito de Deus, que tal qualidade não faz parte da vida das consciências, haja visto a situação caótica e mórbida em que encontram-se.

Ligadas da cabeça aos pés aos deleites carnais, não buscam de maneira nenhuma promoverem o seu bem próprio, refiro-me a vida eterna espiritual, pois suas ações são todas referentes ao bem carnal. Sabemos que há dois caminhos postos ao Homem que são claros: um o levará ao céu e o outro ao vazio eterno. E é diante desses, que deveria valer o raciocínio e com sensatez avaliar e decidir pelo que lhe dará a vida infinda. Entretanto, há dois fatores importantes que influem na tomada de decisão: a ignorância em relação ao propósito de Deus e os sentimentos. As consciências geralmente tomam decisões apressadas e impensadas justamente por fundamentarem-se em seus sentimentos e acabam por meterem os pés pelas mãos. O indivíduo insensato mostra-se ignorante e tolo e por fiar em seu próprio conhecimento e entendimento não busca o correto discernimento para suas ações, principalmente em relação à vida eterna, acarretando para si a condenação na eternidade do vazio.

Por Loir Xavier