Será que as consciências sabem o verdadeiro sentido, o sentido real de ser livre? Creio e vejo a comprovação de que não! Aliás, o que se nos apresenta aos olhos, são multidões de encarcerados, tolidos de liberdade, erguendo a bandeira de “somos livres”, sem realmente o serem. E o que vemos é cada vez mais prisões e de todos os tipos. Consciências que clamam por socorro de suas clausuras, que saltam à vista, pondo a mostra seus males. São cativos dos sentimentos carnais que saltam de seus poros e que os inebria, prisioneiros de si próprios, reféns do engano e seus ardis. Ser livre é uma escolha e que exige amor a si mesmo, pois somente a verdade de Deus, que está no espírito em nós, é capaz de quebrar todas as correntes e fazer-nos verdadeiramente livres, se a Ele sem reservas e dispostos nos entregarmos!

Por Loir Xavier