Soltar-me das amarras! O que são? Quais? De que tipo??? Há pouco tempo fazia-me tais perguntas, por repetidas vezes. Faltava-me compreensão, mas havia sede de saber, de desvendar o meu próprio mistério, de navegar em águas tranquilas, de sair das turbulentas tempestades…então tive que mergulhar para desvendar o que havia nas escuras águas que estavam a ponto de me tragar. Foi incrivelmente revelador, desafiador!

Solte as amarras! Frase imperativa, ordem ou conselho? Logicamente que depende de como a consciência a irá perceber, mas de qualquer modo é preciso! Algumas amarras se foram voluntariamente, afinal eram frouxas, não tinham sequer um nó. Já outras persistem em ficar, apertando, nós atados ao longo de uma vida sem o conhecimento da verdade e na mesma toada, sem entendimento, porém não há nada de que não possamos nos desvencilhar.

Solte as amarras! Sob a perspectiva do propósito de Deus é uma ordem, para que cumpramos o mandamento de sair da carne, sermos puros e limpos de coração (consciência) e vermos, sermos Deus. O significado da palavra amarras é: atar, prender, segurar, obstáculo.  Tais palavras nos remetem a memória de que o engano carnal tem essas características e que estão nos sentimentos carnais exacerbados que desenvolvemos, os quais nosso irmão Paulo listou sabiamente pelo espírito e advertiu que os tais nos separam de Deus.

Solte as amarras! É um conselho, uma exortação para a busca em conhecer, experimentar e desfrutar da única e real liberdade que está em Cristo, o espírito da vida, pois “conhecereis a verdade e ela vos libertará!”

Quanto a mim, estou aqui nesse mergulho profundo, desvendando meus segredos, soltando as amarras, desatando nós, construindo laços com o senhor amado de minh’alma, rumo às águas tranquilas!

Por Loir Xavier