Assim como uma música tem seu compositor, a orquestra seu regente, nós temos o nosso maestro que nos rege e dá a vida. Nos fez para sermos povo Seu, para realizar o Seu propósito produzindo a consciência para manifesta-lo.
Para ministrar uma sinfonia perfeita os instrumentos e seus musicistas devem estar em sintonia entre si bem como ao comando do maestro regente. Mas em se tratando dos bilhões de consciências não é o que acontece, pois estão vivendo fora do propósito do Senhor, totalmente desafinadas, fora da sintonia da vida. Vivendo na cadência frenética da música carnal que soa agradável aos ouvidos, mas que seu fim será cruel.
O som da vida ecoa aos corações instigando as consciências à ouvi-lo enquanto ainda toca…enquanto ainda pulsa…enquanto ainda há vida!

Por Loir Xavier