As consciências em geral fazem de tudo uma ficção, haja visto a enormidade de contos de fadas, em que colocam-se como protagonistas, esperando pelo redentor. São movidas pelas paixões e não só entre corpos, mas bem como por aquilo que lhes instigar o desejo de possuir. Sonhadoras tornam-se manipuladoras, invertem a verdade para que esta caiba em seus mundos de incoerências e obviamente lhes favoreçam em algo. Recusam-se à raciocinar por que encarar a realidade de fato fará com que acordem do sono profundo, sem o beijo do príncipe. E dentre tantas fábulas e fantasias, ser coerente é trilhar a lógica, comparar os fatos, enxergar a verdade e saber que no final de cada história só será colhido aquele que em si plantou, regou, cuidou, brotou e em um novo fruto se tornou.

Por Loir Xavier