Acalma-te ó alma
Os ventos irão passar
Firme-se como rocha
Que o sol virá te iluminar

Cessará a tua dor
Secará o mar do teu olhar
Cobrir-te-á com o manto amor
Até teu coração esquentar

Não temas ó alma
A metamorfose faz doer
Um dia ganhará asas
E ao chão ficará o que lhe faz sofrer

Caído,
Assim como quer deixar-te caída
Pálido e smilinguido
E então voarás em direção a saída

Levanta-te ó alma
Não deixe que nada lhe abale
Seja feito astronauta
Adentre-se em sua nave

Olha o quão belo são seus olhos
E quão maravilhoso é vislumbrar
Faça-te um imo simplório
Não deixe o mal lhe assombrar

Ele quer sua derrota
Mas nada poderás vencer-te
Ao anjo abre-se ó alma porta
Que o amor lhe pegará em flerte

E então entenderás o que é ser cais
Farás parte dos imortais
Não lembrarás jamais
Daquilo que dantes eram ais

Esforça-te ó alma
Que o teu dia de alacridade vem
Não precisa contar as horas
Mas conte-se pétala do bem

E mesmo que entardeça
Seu brilho lhe fará dia
Que a compreensão prevaleça
Até vingar-te em alegria

Por Patricia C.