Poesia: “Andando sobre as águas”

Contemplou as águas
Sentiu sua mansidão
Na superfície pairava
O renovar e a transformação

Florescia-lhe a coragem
Diante tal transparência
A confiança era seu traje
E os pés calçavam coerência

Sentia o peso do pó
Seus fardos ficavam pelo caminho
Seu ânimo era o sol
A candeia do seu destino

Andando sobre as águas
Num firme caminhar
Passos de encontro a calma
Um laço para quem sabe amar

E assim se vence os medos
Enfrentando-os frente à frente
Não perde nenhum ensejo
Dantes agarra-o firmemente

Oportunidade em meio ao caos
Com um tilintar de cais
Ofusca a sombra dos maus
E a alma rema em paz

Segue segura
Suas pálpebras em união
Um suspirar em alvura
E o transformar do coração

Nunca imaginou-se
Com tanto empoderamento
Em simplicidade blindou-se
Aprofundou-se em desbravamento

Ajuntou o conhecimento
Para que possa o dividir
Dar ao céu tal contentamento
Fazer o seu anjo sorrir

A palavra é o firmamento
Para quem anda em retidão
As águas diluem qualquer sofrimento
Esvanecendo-o pela compreensão

Por Patricia C.