Íris peculiar
Incrível
O amor à transbordar
Da forma mais nobre, sensível

Como se sentisse
O batucar alheio
O decifrar dos sentimentos simples
Até o mais profundo e verdadeiro

É conhecer a empatia de frente
E chorar a dor do outro
Ver a sinceridade transparente
Reluzindo pelos olhos ouro

É tão emérito possuir tal destreza
Ter esta visão além do alcance
Do alto da montanha sentir firmeza
E enxergar nos vales, diamantes

Ter um olhar clínico
Minucioso de detalhes ricos
E quando há dor, há um suspiro
Transcedente a qualquer sentimento físico

Ser elevado
E não somente sentir-se
Ser aplumado
Ser águia à vôo livre

É nas alturas que encontramos maravilhas
As quais na simplicidade torna-nos excelente
Por vezes um humilde lírico nos ensina
A desvendar enigmas através de outra lente

De forma coerente
Que agrega
Elevadamente
E assim ensina o poeta

Foi nas andanças desta vida
Que vi em oculto um poeta
Do alto de sua montanha contemplando diversas obras primas
As quais, maravilhosamente interpreta

E assim seguimos
Aprendendo e ensinando
Por vezes mutuamente sentimos
As gotas que vão nos lavando

É uma troca
Sem barganha
É o amor que toca
Onde todos os sensíveis ganham

Por Patricia C.