Eu ouvi uma música triste
Onde os humanos não eram humanos
Num mundo onde o egoísmo insiste
Lugar que mudou os seus planos

Como dizem eles:
Cada um por si e Deus por todos
Realmente
Só esqueceram-se que Deus não fica ao lado do indouto

Ocuparam-se tanto com pouco
A primazia é o nada
É algo tão louco
São como portas fechadas

Ao lado está a fome
Porém passam de largo
O problema é de quem não come
O que importa é que sou farto

E assim caminha a humanidade
Sem amor, pura maldade
Quiçá enxergassem a verdade
E por ela ganhassem a liberdade

Parece ser tarde
A noite já vêm
Rio de vaidade
Não há quem faça o bem

Os olhares estão cansados
Os pés estão calejados
O imo amargurado
A esperança ficou no passado

Não há mais lágrimas a derramar
Nem mais um peito para sonhar
Seus clamores foram calados
E o silêncio lhes foi penetrado

E assim caminha a humanidade
Sem nenhuma alacridade
Perderam a identidade
Não hão de ser na eternidade

Por Patricia C.