Poesia: ” Elemento nobre”

Ao transpassar o invisível
Percebera um plano suave
Uma existência incrível
A sua cara metade

Não encontrou-o lá fora
Mas no caminho inverso
Tese que metafora
Naquele que não é disperso

O contrário
Atento em cada detalhe
No interno um relicário
Desenhando em sutil entalhe

Uma marca no imo
Que não o separa da vida
É sentido seu destino
E seu sentido segue a risca

O que quer é viver
Busca então ser alma pura
Aquém não há de permanecer
Então deve-se tornar candura

Ser transparente
Igualar-se a alvura
A criança é inocente
Não deseja o mal, mas a cura

O céu formou-se em nobreza
É único seu elemento
Se a alma deseja a pureza
Que plante o eterno em seu peito

Até florescer luminosidade
Tornando-se um elemento nobre
As asas que traz a verdade
Faz de um imo casto, um lord

Unidade elevada
Formada em lisura
Distinta, renomada
Ilustre por sua doçura

A simplicidade espelha
Através do seu olhar
Aceso pela centelha
Que em ti fostes morar

Patricia C.