Poesia: “Olhar para frente”

Cada segundo passado,
É passado
E não há como voltar
Não fique nele enclausurado
Sem esperança do libertar

É preciso seguir
No presente, estar presente
Há um futuro por vir
Eternamente consciente

Olhar para frente
E continuar seguindo o caminho
Esquecer do pó que se sente
E enlaçar-se ao infinito

É enxergar o invisível
Com total convicção
Pelos olhos do raciocínio
Chegar a real conclusão

O que ficou, era para ficar
E o que se foi, era também para ir
As águas correntes de um rio, não há como segurar
E estas mesmas que descem, não há como subir

Há um horizonte imaginário
Que nossas almas tem o poder de transpassar
Guarde-o em seu relicário
Este é o caminho e só você poderás passar

Aquele que possui um olhar amplo
E enxerga além deste horizonte
Tornar-se-á Santo
O qual chegará muito longe

Foge à visão humana
Ganha asas e voa tão alto
Altitude que nenhum pássaro alcança
Ao ponto de com a liberdade fazer laço

Descobre-se
Envolve-se
Torna nobre
E um corpo desenvolve-se

Eterno em si
Reveste-se em seda e cetim
Traz brilho e faz refletir
O lume que adentrou-o sem fim

Segue em alacridade
Um sorriso de verdade
De quem ganhou a liberdade
Doando-se como lar por toda a eternidade

Por Patricia C.