Estranhável
O que há nas entranhas
Digo: admirável!
Tal compreensão que emana

Transcende o imo
Transborda o externo
Olhos escorrem em rios
Derrete o gelo do inverno

Vem do eterno
A flecha que acerta o interno
O alvo é a flor do deserto
Trazendo o céu pra tão perto

Um amor cuidador
Que cura toda a dor
Delicado em resplendor
Suave feito o condor

A paz carrega consigo
Por seu globo espelha um amigo
Muito mais do que isto
Um irmão que traz todo o sentido

De esperança
De bonança
Temperança
Em sua feição de criança

Que alegra
Que agrega
Que reintegra
Um amor que não se contesta

E o que tem, prolifera
É remanso em meio a guerra
Calmaria na minha terra
Ouvir esta voz que reverbera

Inexplicável
Sentimento que aquece aqui dentro
Demonstra ser infindável
A pureza que carrega no peito

Que sentimento é este?
Incompreendido pelos loucos
Que acolhe as almas doentes
Até refresca-las um pouco

Dar-lhes amor
Sem esperar nada em troca
Do coração és aquecedor
E amar é o que lhe importa

Patricia C.