Seus olhos levantam-se para o além da estrada
Buscando uma resposta sem base
Com uma pergunta ainda não elaborada
Sem chão, coberto por raízes e seus enlaces

Já foi para o pico dos céus
Já cavou até o núcleo da Terra
Tudo coberto pelo véu
E o casamento feito nas trevas

Estranho como a simplicidade é tão difícil de ser decifrada
Como se o mais simples se tornasse o mais complicado
O olhar sempre está longe de sua alçada
E seus rastros, da verdade tão afastados

Apenas seria andar na luz
Há luz que irradia da vida
Sua necessidade que reluz
Através de uma preciosa sabedoria

Simples e tão bela
Como os passarinhos
O bem desenhado em tela
É preciso refletir seu caminho

Pegadas deixadas tão vazias
Sem sentido, sem razão
Busca nas florestas mais densas e frias
Mas não procura no jardim de seu coração

O erro se encontra na fantasia
Achar que é tão complexo
Passam noites e dias
Chegam a buscar tão longe, sendo que está tão perto

Sabe por quê já está tudo tão claro?
Simplesmente por já estar tudo fundado em seu ventre
Na essência dos campos vastos
Em seu peito, em sua alma, em sua mente

Por Luiza Campos