Emunah é um termo usado no cotidiano do povo Yehudi (judeu), para designar fidelidade, confiança, honestidade, constância, firmeza, dentre outros.

Em quem confiar nos dias de hoje? Quem é tão verdadeiro ao ponto de acreditar sua eternidade nas mãos dele? Neste mundo aqui? Bom, ninguém. Mas há um, existe um ser, que não está muito longe de seu sentir, habita em suas entranhas, bombeia seu coração. Esta é, em sua inteira e completa forma, a vida. Sua serenidade e pureza assusta os indoutos, não creem em sua existência e jogam fora suas consciências. Eu creio em meu espírito e tenho a prova dele, tenho a vida em minha essência, sou ela e ela sou eu. Somos um só, uma união eternizada por um bem querer. Confio a ele minha vida, afinal ele próprio é minha vida, então com quem mais eu iria querer estar senão com ele? Dou a ele minha alma, estou a sua mercê. Assim como tudo espera de seu Criador, eu espero de meu Pai, assim como as criaturinhas dos campos esperam sua presa, eu espero as águas da eternidade. Sou repleta pela vida, e ela é repleta de mim, somos simetria, e este verso não tem fim. A fala distante e distinta, vaga sem razão ou lugar, mas quando dita e abre os olhos da sabedoria, enxerga toda a maravilha de seu mar. Hoje temos em nós duas existências, e nós (consciências) temos que escolher uma, assim confiando seus passos em cada desejo. Eu não sigo o que é mortal, mas sim o que vivifica em mim, sendo assim, de alguma forma, todos praticamos o emunah, mas uns acreditam no que é mentiroso, e outros no que é vida e paz.

Por Luiza Campos