As brechas da vida lhe intriga
Não se vê por completo
Procura a luz infinda
Porém seus passos são incertos

Como em corda bamba
Metáfora sem base
Laços que balançam
Deve deixar seus enlaces

A vida pulsa seu coração
Aproveite seu tempo antes que ele passe
Descubra o bem da sua imensidão
Tirando as máscaras, seus disfarces

Sinta no peito o pudor
O som ecoando por sua liberdade
Sinta a essência do amor
A compreensão de toda verdade

Deixe que o mal vai passar
Plante o bem em seu jardim
Este caminho é como as ondas do mar
Um ciclo sem fim

Sua diretriz será traçada
Seus passos muito bem guiados
Encontre o lume de sua alvorada
E a esperança para o desconsolados

O mundo perdeu a confiança
Pois não escuta mais a voz celestial
Atente-se a temperança
Deixando esse tempo banal

Seja completa com suas metades
Com a aliança do céu
Arco-íris em divindade
Escrito o nome eterno no papel

Por Luiza Campos