Que soe de sua boca palavras do bem, e seus pés estejam firmes em sua dignidade, a voz da vida grita sobre sua eternidade, proclamando sua fala aos povos. Grite o que tem que ser falado, não esconda seus tesouros apenas para você, quem é egoísta perde até o que tem guardado, então divida o pão a todo Homem, todo ser. Grite aos quatro cantos do mundo, e deixe que falem sobre sua caminhada, os puros entenderão seu mais profundo, se achegando e começando uma nova estrada. Sua luz emanará, de dentro para fora, todos seus atos transporão, em uma nova memória. Tenha as rédeas nas mãos, e saiba o que profere de seus lábios, poucos têm em controle o coração, mas seja tu, revolucionário. A vida palpita e insiste gritar, deixe-a ser livre como os pássaros no céu, sua essência deve se libertar, para propagar a todo véu. O clamor de seu nome traça grandes destinos, seu proclamar aquece novos peitos, deixe imperar e verá um novo tino, e seu colo será seu leito. A paz preencherá suas entranhas, e seu âmago será repleto de amor, que a vida proclama, vai curando aos poucos toda dor.

Por Luiza Campos