Eu vi tudo acontecer, desde as profecias, até a lei da vida. Eu vejo tudo acontecer, desde o deserto até meu grande dia. Enxergo as peças se movimentando, como em uma encruzilhada, mas no fim tudo dá certo. Como o acabar de um ciclo, a vinda do outono, depois a secura do inverno e a escassez do calor. Mas logo brota, nasce a primavera, seguida do verão, trazendo novas vidas, um novo amor. Tudo tem seu ciclo, sua hora, com temperança, mas quando chega o momento propício, para Deus é uma grande mudança. O mar se abre na minha frente todos os dias, cai comida do céu a todo momento, renova a aurora com muita sabedoria, aguando e adubando meus pensamentos. Crer é a chave de tudo, e fica mais claro ainda quando enxergamos a ação do céu, agindo sobre todos os corações surdos e mudos, eliminando o pó, seu véu. Me sinto honrada, tenho que dizer, por fazer parte do cajado de Moisés. Sou uma das peças deste jogo imensamente indescritível, meu coração chega a pulsar mais rápido ao pensar, somos partes de um propósito infindo, consciência, habitação da eternidade, faz-se lar. Não há como descrever o que vejo, mas sei com toda certeza que o mar não se abriu só para o povo de Moisés, mas se abre para nós hoje. Quem enxerga para testemunhar nestes finais dos tempos?

Por Luíza Campos