Queria amor, mas não sabia amar, queria respeito, mas não sabia respeitar. Seus passos tortos, sua fala descabida, olhares mórbidos, espelho sem vida. Se quer compreensão, por que não compreende primeiro? Os aplausos enganam o coração, mas enxerga quem é verdadeiro. Antes de qualquer coisa, alinhe seu prumo, antes de agir se coloque no lugar de seu próximo, encontre seu tino, siga um rumo. A vida não correrá atrás de sua graça, se coloque de joelhos sobre o chão, antes que fique as traças, eternamente em lamentação. Reciprocidade não é só uma simples palavra, mas uma conduta a ser colocada em prática, se prega tanto o bem das almas, primeiro cure o que em ti está sem alva. Faça o bem sem ver a quem, clichê, mas quem com este ditado vai além? Pois é, ninguém. Nem a própria vida dão valor, deixa passar, deixa morar a dor, acostumando-se com o peso de carregar o mar. Reciprocidade, a vinda de um bem querer, ação em liberdade, o cantarolar de seu ser.

Por Luiza Campos