Forte e destemida, foi assim que me vi no campo de batalha, meu semblante era de guerreira que sentia tocar a esperança, pois ali na batalha não tinha medo de meus inimigos, eram muitos, mas a força que tinha dentro de mim poderia vir até um exército que todos eu venceria. Os meus adversários estavam famintos, queriam comer de minha carne e beber do meu sangue, ali era matar ou morrer, eu lutava bravamente, portava na mão direita uma adaga bem afiada e com ela arrancava o coração e decepava as cabeças de meus inimigos, eu estava cansada, exausta, me via toda suja de sangue, pois o sangue que derramava dos adversários sujava-me por inteira. Dentro de mim rugia um leão e dele vinha toda a minha força, nunca me senti assim tão forte, lutava, matava e me sujava, e quanto mais eu vencia, mais vontade tinha de acabar com aquela guerra, vi também pessoas do meu lado lutando como eu, que tinham o mesmo objetivo, não via faces, mas os sentia pelo coração e bravura. Moça guerreira, sim, me vi como uma moça guerreira que mesmo nos instantes de solidão chora, encharca o peito, mas fica ali sempre de pé. Neste sonho vi Deus falando para mim: você é uma moça guerreira e é assim que precisa lutar, sem dó e sem piedade, é assim que devo ser, pois o meu Pai me mostrou que devo ser assim como uma moça guerreira…

 

Por Maria Lúcia