Amor, muitos não o conhecem, mas pronunciam dia e noite por suas bocas, amar. Nossa! O mundo inteiro ama, mas de verdade ninguém o tem, nem o sente. O que dizem ter no coração é uma paixão doentia, sentimento de posse, onde um quer prender o outro do seu lado, tipo: obrigar a pessoa viver e ser do seu jeito. Isto não é amor, amarrar o seu semelhante aos seus pés é o mesmo que você quebrar as asas de um passarinho para impedir que ele voe, onde está o amor aí? Não, não é assim que se ama, pois o amor verdadeiro é deixar livre quem nós dizemos amar e para nós mesmos ter esta atitude de libertar o outro, primeiro temos que desatar os nós que nos prende para sermos livres. Daí sim você dará a carta de alforria para aquele que você ama, pois libertando a si mesma sentirá o prazer de como é bom ser livre, e sendo assim não terá gosto de aprisionar ninguém ao seu lado, porque é liberto e desejará asas para todos.

Deus não nos obriga a nada, tanto é que Ele nos deu o livre arbítrio, mas as nossas consciências devem ser sábias para não pegar o caminho da morte que a levará ao vazio eterno, mas sim andar no caminho da vida que a levará para o céu, agora quem escolhe por qual caminho andar é você, a escolha é somente sua, mas sabendo que cada decisão tem uma consequência, temos que estar cientes de nossas escolhas, temos que estar certos, pois somos nós quem pagaremos por nossas escolhas e ciente de nossas atitudes não podemos jogar a culpa em ninguém, pois cada um é culpado pelos atos cometidos. Deus é simples e sábio e não age com loucuras e nós por sermos a consciência temos um órgão que é o raciocínio e por ele podemos ver o antes e o depois das coisas aconterecerem, é o dito o bem e o mal, e nós só prejudicamos a nossa alma se quisermos, pois hoje dizemos que conhecemos o amor e através dele podemos mudar e transformar a nós mesmos…

Por Maria Lúcia