Todos nós que nascemos neste mundo, viemos aqui por um propósito, e este propósito é de Deus. Antes de nascermos neste mundo, Deus já havia preparado tudo para dar condição de sobrevivência para o ser humano, sua principal criação, justamente por causa da consciência que o ser humano produz. A consciência é o fruto do desejo de Deus e é nesta consciência que se faz a reprodução espiritual. Então, todo este universo foi criado por causa da consciência, só que Deus quer esta consciência pelo espírito e não pela carne como todos vivem.

O único pecado que existe diante de Deus é a consciência andar pela carne. Claro que foi a carne que produziu a consciência, por isso é natural a consciência estar ligada ao pé, que é a carne, mas depois desta consciência produzida e madura, ela deve raciocinar, que inclusive o raciocínio é uma de suas funções e se entregar ao espírito que Deus enviou a cada um de nós, este é o propósito da vida a nós.

Mas consciência nenhuma se entregou ao espírito de Deus e foi viver por conta própria. Vivem por seus desejos carnais e o pecado da consciência só vai aumentando e pesando nas costas de cada um. Ao invés, das consciências se voltarem para dentro e verem que o sentido da vida é com o espírito, elas só veem o lado de fora e só querem saciar os deleites do corpo carnal. Por isso as consciências são tão vazias, e cada vez mais o peso de seus pecados ficam insuportáveis de carregar, por isso hoje acontecem tantos suicídios, pois todos vivem à revelia dos desejos ilusórios deste mundo. Um peso nas costas, várias feridas nas almas e os males só vão tomando conta da consciência e a deixando cada vez mais distante de Deus. O fardo da carne é pesado, mas o fardo do espírito é leve, bastaria as consciências reverterem de seus maus caminhos e se identificarem com o espírito de Deus para que seus fardos fiquem leves.

Por Kátia Campos