O amor verdadeiro é a compreensão ao próximo, se não houver compreensão, não há amor de verdade. Se alguém ama, esperando retribuição, não é amor, e sim uma troca, e troca não é amor de verdade. Amar é não esperar nada em troca, só a felicidade da pessoa que ama. Muitas pessoas confundem amor com domínio e ninguém gosta de ser dominado, mas o verdadeiro amor é dar liberdade a pessoa que diz que ama. A pessoa deve ter prazer de estar ao seu lado e não estar por dívida moral. Não existe amor, quando alguém diz: eu gosto dele, porque ele me dá tudo o que quero. Isso não é amor, e sim consideração, que é o apreço, ou a estima que uma pessoa tem por outra por alguma retribuição.

Mas o amor verdadeiro é aquele que Jesus nos ensinou, que mesmo sendo levado a morte, compreendia aqueles que o matavam, e ainda disse: Pai, perdoa estes, porque eles não sabem o que estão fazendo. Gostar de quem gosta de mim, não é nenhuma vantagem minha, pois até os ímpios que não conhecem a Deus, fazem isso. Emprestar para quem você sabe que vai pagar, também não é nenhuma vantagem, pois até os banqueiros que são avarentos, também fazem isso. Mas quero ver você sentir amor por quem te odeia, ou emprestar dinheiro para quem você sabe que não tem condição de te pagar. Quero ver um sorriso no rosto diante daqueles que te prejudicam. Isto é passar pela purificação de Deus, ter o amor verdadeiro, ter a compreensão dos justos. Quero ver você se sentir ofendido quando alguém ofender a Deus na sua frente.

Quero ver você não respeitar a fé enganosa dos religiosos, e nem ter apreço por aqueles que se desviam para a mentira. Quero ver alguém defender um justo, pois o que não falta neste mundo são os advogados do diabo. Aqui ninguém defende a causa de Deus, pois contra Deus não tem acordo. Quem não ama a Deus, não tem condição de amar o seu próximo. Dizer que ama um ignorante é uma coisa, mas como amar alguém que desrespeita o nosso Pai? Com estes, Paulo disse, que não devemos nem sentar à mesa com eles, pois eles desconsideram a Deus. Está escrito: bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta a roda dos escarnecedores, antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei, medita de dia e de noite. Quão bom e suave é que os irmãos vivam em união.

Isto é amar a Deus verdadeiramente, mas quem fica com conversinha mole com os filhos do diabo, não conhece o amor verdadeiro de Deus.

Por O teu espírito diz