Nós poderíamos chamar o amor platônico até entre consciências, porque ele não envolve a carne, mas sim o amor que temos pelas ideias de uma pessoa, de como ela fala, do comportamento, de como ela age e da conduta dela. Uma vez fizemos uma pesquisa entre os irmãos para sabermos qual consciência, se não fosse a sua própria, o espírito escolheria entre os irmãos, e a consciência de uma irmã ganhou pela conduta dela, isto é, todos falaram: se não fosse a minha consciência, eu escolheria a consciência desta irmã. Isto é o que chamamos de amor platônico, que não é um amor físico, mas um amor entre consciências. Imagine, amarmos a consciência de uma pessoa? Alguns filósofos até dizem que o amor platônico é o amor entre o espírito, mas esta ideia é furada, porque uma vez que falamos que o amor platônico não envolve o físico, o espírito se trata de uma existência e o amor platônico não pode envolver existências, mas seria o amor entre consciências, isto é, a tua consciência amar outra consciência. Aos olhos humanos parece um amor louco, mas isto ocorre comumente, como a pessoa ter um ídolo, isto é, você ama a pessoa pelo que ela faz, pela arte dela, pela conduta, pela postura, pelo comportamento, não o físico, mas as ideias. Quando uma pessoa raciocina, por exemplo, ela é muito estimada, não pelo físico, mas porque a consciência é inteligente e vê com facilidade pelo entendimento.

O raciocínio é uma característica dos sábios e eles são respeitados por isso. Imagine uma consciência raciocinar dentro do propósito da vida, encaixar cada peça no seu lugar e descobrir a vida eterna do espírito. O nosso papel, isto é, meu e dos meus irmãos, é tentar elucidar as consciências para o propósito de Deus, e nós amamos as consciências, pois elas são do interesse de Deus, e ficamos muito felizes quando ganhamos uma consciência para Deus, este é o verdadeiro amor platônico que não envolve o físico, nem o financeiro e nem o prazer sexual, mas sim, o prazer que vem do raciocínio. Eu até costumo dizer que os sábios gozam com a cabeça de cima, mas os tolos com a de baixo.

O amor platônico é isso, a tua consciência ter prazer em outra consciência pelo que ela enxerga pelo entendimento. Mais uma vez eu digo, o amor platônico não envolve o físico, mas só a mente das pessoas.

Por O teu espírito diz