O ciúme é um dos sentimentos mais nojentos que uma consciência possa ter. Ele é até considerado pela psiquiatria como uma doença da alma. O ciúme é o desejo de uma consciência ter o domínio sobre outra. Ela quer condicionar o que uma outra consciência deve fazer. Todo ciúme é possessivo, pois ele quer ter o domínio de posse da outra consciência. E o ciúme leva a consciência a paranoia, que é a crise da doença, isto é, a consciência começa a imaginar coisas que não existem, como alucinações. Dentro dela a coisa está acontecendo e passa a ser uma verdade, e muitas vezes, esta verdade leva a consciência a cometer loucuras.

Toda consciência foi produzida para ser livre, ou pelo menos era para ser, pois toda consciência enclausurada se torna um perigo. Uma consciência ciumenta é totalmente enclausurada por si mesmo, isto é, ela desconfia de outra pessoa pela capacidade própria que tem de fazer as coisas. Ela imagina, que a outra pessoa está fazendo algo errado que ela tem capacidade de fazer. Não necessariamente física, mas se trai também em pensamentos. Toda consciência se permite trair, mas não permite que outra a traia. Então, tudo aquilo que uma consciência tem capacidade de fazer, ela julga que a outra consciência também tem, e este julgamento é o que chamamos de ciúmes. Quando a outra pessoa está longe o ciumento passa o tempo todo querendo saber onde ela está, e o que está fazendo.

E se a pessoa ciumenta perder o contato com a outra pessoa, ela já entra em paranoia, isto é, ela começa a imaginar coisas que supostamente a outra pessoa está fazendo. No caso da mulher entre um casal, ela diz: ele está com outra, por isso não me atende. E depois ele virá com conversinha mole de que estava fazendo outra coisa. E isto a deixa em depressão profunda, e a pessoa só fica tranquila se a outra estiver perto dela e de cabeça baixa. A consciência ciumenta não permite que a outra consciência pense por ela mesma, pois se pensar, ela logo imagina que ela está em outra.

É terrível conviver com uma consciência ciumenta, e muitas vezes, no caso dos homens, eles mesmos provocam ciúmes em sua mulher, para se sentir como um garanhão, e isto sustenta a sua soberba e seu ego. Neste caso temos dois doentes, um com o ciúme e o outro com a soberba e o ego. Geralmente estas duas doenças andam juntas entre os casais, e nós dizemos que um alimenta o pecado do outro, e eles passam a vida toda brigando.

Imagine se uma consciência assim tem capacidade de chegar ao conhecimento do propósito da vida? Pior ainda, ela não tem nenhuma capacidade de andar no caminho da vida.

Por O teu espírito diz