Nós sabemos que todas as coisas se manifestam na presença da luz, e não é só na presença da luz do sol que as coisas se manifestam, mas também na presença da luz do entendimento. Na presença da luz do sol, todas as coisas se manifestam pelos olhos da carne, mas na presença da luz do entendimento, vemos tudo pelos olhos do raciocínio. Assim como os olhos da carne enxerga todas as coisas na presença da luz, o raciocínio também enxerga todas as coisas pela luz do entendimento. Todas as coisas se mostram como elas são, tanto na luz do dia, como na luz do entendimento. E só pelos olhos do entendimento nós enxergamos o propósito de Deus a nós. Mas acontece, que por este olho, todas as consciências são cegas, como Jesus disse: se vós confessásseis que eram cegos não teriam nenhum erro, mas como dizem que enxergam, o vosso erro permanece. Jamais uma consciência que raciocina por lógica, tropeça no entendimento. E nós enxergamos pelo entendimento, tanto quanto uma pessoa enxerga pelos olhos da carne, na presença da luz.

Não precisamos ver o Criador da caneta para saber que ele existe. Desta mesma forma, não precisamos ver o nosso Criador para saber que Ele existe, pois nós mesmos somos a prova viva de que Ele existe. E se chegamos nesta evidência, de que o nosso Criador existe, chegamos também na obviedade de que existiu um motivo para Ele ter nos criado, pois nenhum criador cria sem motivo, isto é, nós produzimos algo que interessa diretamente ao nosso Criador. Devemos também nos atentar para um detalhe, criador algum criaria se produzisse o que a criação produz, pois se produzisse, para que iria criar? Por exemplo: se o ser humano voasse sem precisar da sua criação avião, para que ele a criaria? Se o ser humano produzisse luz sem a criação lâmpada, porque ele a criaria? E assim vemos que se trata de uma lógica, todo criador só cria porque não produz o que sua criação produz. Então, nós, os seres humanos, como criação, produzimos algo que interessa ao nosso Criador e que Ele não produz, pois se produzisse, não haveria nenhum motivo para Ele ter nos criado. Imagine, nós, como criação, produzimos algo que interessa diretamente ao nosso Criador Deus, mas quem raciocina profundamente para refletir no que produz e para que serve?

Por O teu espírito diz