Nós temos que trabalhar com o que temos nas mãos e não por deduções, tudo que se fala da origem do universo são teorias não comprovadas e sempre entra o termo ser, tanto que temos diversas teorias sobre a origem do universo. O ser humano não se identifica nem como ser, como que ele quer se identificar com a origem do universo? Vamos falar do que sabemos e do que temos nas mãos, nós existimos e estamos aqui, o ser humano é uma criação complexíssima e através de reflexões profundas, eu descobri que como criação, o ser humano produz um divisor de águas, isto é, ele dividiu o infinito em duas eternidades, uma no inconsciente que já passamos e outra consciente à nossa frente, isso mesmo, o ser humano produz a consciência como criação e é a partir da consciência que tudo começa, pois até então, tudo estava no inconsciente.

Descobri também quais são as funções da consciência, que é pensar, raciocinar, formar ideias, ponderar, tomar decisões e agir. Pensar todo mundo pensa, mas são raras as pessoas que raciocinam e o raciocínio é o olho do entendimento e é pelo raciocínio caminhando o caminho inverso, que chegamos até o conhecimento de que o nosso pai produziu nosso sêmen dentro de um sistema regido por leis e ali estava iniciando a nossa trajetória dentro do caminho da vida, onde aquele sêmen foi inseminado no ventre das nossas mães, passou por uma metamorfose, nos transformando em ser humano e por fim nascemos neste mundo como se vê. Crescemos e como um fruto natural produzimos a consciência, que esta sim é uma grandeza imensurável, pois qual o valor de tudo sem a consciência de cada uma delas?

O ser humano mal chegou a este mundo e já quer descobrir o segredo do universo, ou seja, a origem do universo e isto foge à nossa compreensão e só temos uma maneira de descobrirmos isto, passarmos a próxima etapa da vida e quando estivermos no plano espiritual, entenderemos todas as coisas claramente, mas nesta fase humana, o máximo que podemos chegar é na compreensão da razão da vida e nisto só chegamos pelo raciocínio lógico. Não adianta querer explicar o inconsciente, mas podemos explicar o consciente e estamos aqui e produzimos a consciência.

Por O teu espírito diz