O espírito de Deus está em simetria com a minha consciência, e a minha consciência reflete o espírito de Deus. Um depende do outro para ser, e sem um, o outro não é nada. Os dois formam um corpo, como as duas metades do corpo. No espírito está a vida, e a vida é a luz da consciência, sem vida, a consciência cairá no breu eterno, e só vai refletir o nada, e é para este breu eterno que todas as consciências estão se dirigindo, pois nenhuma delas estão se ligando no que tem vida, mas estão todas ligadas no que morre. Jesus disse: o espírito é o que vivifica, a carne para nada se aproveita. E é justamente na carne, que para nada se aproveita, que as consciências estão ligadas, e é só o espírito voltar a Deus, que a carne morre e a consciência cairá no vazio eterno, e nenhuma consciência está se dando conta disso.

Todos os dias eu falo a mesma coisa, nós estamos dentro de um propósito, e este propósito tem três fases, onde uma já passamos, que foi a fase de sêmen, estamos na segunda, que é a fase humana, e lá a frente tem ainda a terceira fase, a espiritual. Mas para trocarmos de fase existe todo um processo a ser praticado. O nosso pai carnal produziu o nosso sêmen, e através da coabitação com a nossa mãe, o nosso pai inseminou o nosso sêmen no ventre dela, que estava no período fértil e se engravidou. E lá no ventre da nossa mãe o nosso sêmen passou por uma metamorfose e se transformou em ser humano e nascemos neste mundo como se vê. Ao nascer neste mundo como criação, nós produzimos a consciência como um fruto natural. E por seu lado, Deus nos assentou a porção do seu espírito pela vida, agora, nós devemos inseminar este espírito nas nossas consciências, no período fértil, que é conscientiza-lo, e lá dentro da nossa consciência o espírito se gestará até a estatura completa de Cristo, que é o ser espiritual, e por fim, o nosso nascimento no céu pelo espírito, assim como um dia nascemos neste mundo pela carne. Tudo a seu tempo, como já foi previsto por Deus.

Por O teu espírito diz