Dependendo de quem fala, as palavras podem ter peso de ouro, ou podem não valer nada. Deus disse que zelaria da sua palavra para fazê-la cumprir, mas quantas pessoas falam uma coisa e vivem outra, por isso, o nome mais comum que Jesus chamava os judeus era de hipócritas e raça de víboras. É certo que toda consciência que anda pela carne é falsa, pois em si mesma, a existência da carne é falsa, isto é, provisória e temporária. Mas a consciência que anda pelo espírito de Deus é verdadeira, pois a existência do espírito é eterna e jamais sofre alguma variação de mudança. Deus é espírito, é verdadeiro e imutável. Só uma consciência ligada no espírito pode ter relações de sentimentos com Deus, mas as consciências ligadas a carne, só podem ter sentimentos pela carne.

O papel de buscar e se relacionar com Deus é da consciência, mas ela só consegue se relacionar com Deus pelo espírito, pois Deus é espírito e Ele já assentou a porção do seu espírito em cada um de nós pela vida. Basta a consciência se desligar da carne e se ligar neste espírito que Deus nos assentou que ela já se relaciona com Deus. A relação entre Deus e a carne, é de Criador-criação, mas a relação entre Deus e o espírito é de Pai e filho. A consciência pode se relacionar com Deus como esposa, e isto justamente para inseminar e gestar seu filho nela. Toda consciência que se relaciona com Deus como esposa, gera o seu filho nela, como Jesus disse: e todos serão ensinados por Deus, e quem aprende do Pai, chega a seu filho, que é o espírito. Deus induz todas as consciências ao seu espírito, que Ele já nos assentou pela vida, este é o filho de Deus em nós, como Paulo disse: e todos que são guiados pelo espírito de Deus, estes são os filhos de Deus, isto é, não são os filhos da carne que são os filhos de Deus.

A consciência que anda pela carne, não tem nenhum sentimento pelo espírito de Deus, aliás, não tem nada com Deus, e as palavras dela não valem nada, mas quem fala pelo espírito, fala por Deus.

Por O teu espírito diz