Quem anda na presença da luz, vê tudo e não tropeça em nada, como Salomão disse: o caminho dos ímpios é como a escuridão, nem conhecem aquilo em que tropeçam. Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até se tornar em dia perfeito. A consciência é como um campo de manifestação, onde a vida é a luz deste campo. Acontece que a vida é do espírito, mas a carne se põe a frente, e nós só enxergamos esta luz da vida refletida na carne, como a luz do sol que reflete na lua à noite, como Jesus disse: o espírito é o que vivifica, a carne para nada se aproveita. As consciências andam pela carne, mas com a luz do espírito refletida nela, mas uma vez o espírito volta a Deus, a carne se apaga e a consciência cairá no breu eterno. Jesus disse: sedes filhos da luz enquanto tendes a luz, para que as trevas não vos apanhem, pois quem anda em trevas não sabe para onde vai.

As consciências deveriam se ligar no espírito de Deus pela luz da vida e não na carne que já é morta. Esta sensação de vida que a carne passa a consciência, é falsa, pois quem dá a vida a carne é o espírito, mas isto só por um pouco de tempo, até que a consciência realize o propósito de Deus. Todas as consciências já sabem que o espírito voltará a Deus e que a carne voltará ao pó, e neste dia o que será da tua consciência? Se ela estiver ligada a carne, cairá no vazio eterno, e se ela estiver ligada no espírito, voltará a Deus com ele, e lá no plano do céu gozará a vida eterna dele. Já temos em nós estes três elementos, a saber: o espírito de Deus, a carne como criação e a consciência como produto desta criação. E pelo propósito de Deus, esta consciência deve se desligar da carne que a produziu e se ligar no espírito de Deus pela vida eterna dela. O propósito de Deus já é este, e nós já estamos dentro dele. Se a tua consciência não conseguir se desligar da carne, pode ir se preparando para cair no vazio eterno, porque é para lá que a tua consciência está se dirigindo.

Por O teu espírito diz