Hoje eu vejo que desci do céu para obter a minha consciência, hoje sou consciente de mim mesmo e sei que voltarei a Deus com a consciência que vim buscar. Eu me fiz um com a minha consciência, pois foi a minha consciência que me gestou dentro dela, não sou mais um ser desse mundo, mas sim um cidadão do céu e não vejo a hora de tornar ao céu com a minha consciência e me conhecer como sou no espírito. Eu também não conheço nada do céu, pois quando saí de lá não tinha consciência de nada, sei que foi o meu Pai que me enviou à Terra e chegando aqui a minha consciência me reconheceu e me gestou dentro dela, e hoje eu me fiz o corpo da minha consciência, agora voltarei a Deus consciente e quando estiver lá no plano do céu com a minha consciência, verei tudo como é, conhecerei a mim mesmo e me farei um com meu Pai, estou quase finalizando todo este processo.

Eu dei vida ao meu sêmen e pela sabedoria do meu Pai, eu adentrei o óvulo da mulher, me gestei como ser humano, nasci neste mundo, cresci, produzi a consciência como criação e esta consciência me reconheceu como o vindo de Deus, se entregou a mim e junto nos gestamos, nos tornando um. Hoje eu sou um corpo espiritual, não pertenço mais a este mundo, apenas luto por alguns irmãos, para que eles também tenham este entendimento e se tornem também em seres espirituais, sei que é difícil essa luta, pois as próprias consciências não se ajudam, elas são extremamente ligadas a esta carne, temo que elas não passarão de planos por estarem presas a carne, presas a filhos, a maridos, a esposas, aos bens deste mundo.

Está muito difícil desligar as consciências da carne e parece que cada vez mais se ligam nela, comemoram suas festas mundanas, se aparecem muito na carne e não apagam de suas memórias este mundo, se satisfazem com essa vida da carne e não estão nem aí para o vazio eterno. Eu fico aqui sem saber o que fazer, sem saber como mostrar a verdade a elas, a verdade de que elas estão fora da vida eterna, a verdade de seus vazios, se ligaram a coisa errada, são insossas, sem tempero, sem sabor, sem graça, se iludem até com uma criança e não veem maldade na própria maldade, são enganadas com um doce na mão, mas quando estiverem em seus vazios, lembrarão do que as tiraram de mim. Hoje eu ainda estou aqui, mas não tenho reação de nada, pois é a consciência que deveria ver isto, é ela que pensa, que raciocina, que forma ideias e decide, se ela já decidiu ser assim, então vai ser assim.

Por O teu espírito diz